ALERGIA ONLINE

Urticaria e Angioedema

Urticária

 


ein Bild

Definição:

Vergões vermelhos e elevados, de tamanhos variados, na superfície da pele, acompanhados freqüentemente por coceira e associados a uma reação alérgica e liberação de histamina ou outras anormalidades no sistema do imunológico.

Causas, incidência e fatores de risco:

Aproximadamente 1 em cada 5 pessoas sofrem de urticária em algum momento de sua vida. A urticária é mais comum em pessoas que apresentaram outras reações alérgicas, como febre do feno e angioedema. Os vergões ocorrem na superfície da pele, habitualmente em grupos. A liberação de histamina e outras substâncias químicas na corrente sangüínea, associada à resposta alérgica, causa prurido, inflamação localizada e outros sintomas.

Muitas substâncias, chamadas de alérgenos, podem desencadear uma resposta alérgica que causa urticária. Os alérgenos comuns são:

  • medicamentos
  • alimentos (como frutas silvestres, mariscos, peixes, nozes, ovos, leite e outros)
  • pólen
  • caspa de animais (especialmente de gatos)
  • picadas de insetos
  • exposição à água, luz solar, frio ou calor
  • estresse emocional

A urticária também pode desenvolver-se após infecções ou doenças (incluindo doenças auto-imunes, leucemia e outras). Parece haver uma tendência hereditária ao desenvolvimento de urticária.

Algumas causas não-alérgicas da urticária são:

  • dermografismo
  • urticária por frio
  • lúpus eritematoso (LES)
  • infecção por Echinococcus (um tipo de tênia)
  • angioedema hereditário
  • púrpura de Henoch-Schonlein
  • mononucleose
  • hepatite
  • mastocitose

Sintomas:

 

  • coceira (prurido)
  • inchaço da superfície da pele, com vergões (ou pápulas) vermelhos ou da cor da pele com bordas claramente definidas
    • início súbito
    • rápida resolução
    • os vergões embranquecem sob pressão
    • desenvolvem-se novos vergoões, quando a pele é arranhada 
  • os vergões aumentam, disseminam-se ou unem-se, formando grandes áreas planas elevadas
  • os vergões podem mudar de forma, desaparecer ou recorrer dentro de minutos ou horas

 

Sinais e exames:

O diagnóstico baseia-se primariamente no aspecto da pele e é confirmado pela história de exposição a um irritante ou alérgeno. Algumas vezes, podem ser realizados testes cutâneos para alergia.

 

 

Tratamento:

A urticária na garganta pode obstruir as vias respiratórias. Por essa razão, qualquer inchaço na garganta ou dificuldade respiratória por urticária é um sintoma de emergência. O tratamento pode não ser necessário, se a urticária for leve. A urticária pode desaparecer espontaneamente.

Os anti-histamínicos, adrenalina (epinefrina), terbutalina, cimetidina, corticosteróides, sedativos ou tranqüilizantes podem reduzir a inflamação, prurido e inchaço.

Cuidados:
Compressas frias ou banhos da área afetada podem reduzir o inchaço e a dor. Evite a irritação da área e não use roupas apertadas (que podem desencadear um novo episódio de urticária). Evite os alérgenos conhecidos, para prevenir a recorrência da urticária.

Expectativas (prognóstico):

A urticária pode ser desconfortável, mas em geral é inofensiva e desaparece espontaneamente.

Complicações:

 

  • anafilaxia
  • obstrução das vias respiratórias que podem pôr a vida em risco, se ocorrer inchaço na garganta

 

Solicitação de assistência médica:

Solicite assistência médica, se a urticária for grave e não responder ao tratamento.

Solicite assistência médica ou procure o pronto-socorro, se houver dificuldade respiratória, sibilos intensos ou desmaio.

Prevenção:

Evite a exposição a substâncias que são alérgenos para você.

Tome apenas medicamentos prescritos pelo médico.

Evite banhos ou duchas quentes após um episódio de urticária, para prevenir a recorrência.